O Mar não tem Fim


Sempre gostei de ler, mas por muitos anos de minha vida, pela falta de tempo e correria, abandonei um pouco esse hábito. 

Quando vim morar na Nova Zelândia, trouxe alguns livros e revistas em Português, e achava que iriam durar uma eternidade. Cheguei em pleno inverno. Li todo o material que eu tinha em poucos dias. Era a única forma de ocupar minhas muitas horas livres, e suportar o inverno mais longo de minha vida.

Quando eles acabaram, a solidão me pegou. Fui para as bibliotecas públicas, fiz a minha carteirinha e passava horas lá folheando livros e revistas. Muito pouca coisa em Português brasileiro, e alguns em Português de Portugal. Um deles era tão antigo que eu não entendi o significado de muitas palavras. Pena que não guardei o nome.

Mas quem tem amigos, nunca está só. A Valéria Simonetti, que já falei dela várias vezes aqui, começou a me enviar livros e revistas. Ela, como educadora sabe a importância da leitura. Por ter morado fora do Brasil, sabe como dói a solidão. Como amiga, sempre está atenta a todas as minhas necessidades. Quase três anos se passaram, e ela continua enviando preciosos materiais pra que eu não me esqueça do meu lindo idioma, o Português.

Pensando nisso, todas as oportunidades que tenho, compro livros no Brasil. Quando meu irmão veio, trouxe alguns, que eu comprei pela internet e enviei para o endereço dele.
Quando fui ao Brasil esse ano, trouxe outros, e alguns, ainda não li. Estou guardando para o inverno, que está vindo com toda a força, em pleno Outono. Embora, já não tenha mais tanto tempo disponível, como quando aqui cheguei. Graças a Deus!

Junto com os livros que meu irmão trouxe em Janeiro de 2011 estava o maravilhoso livro 'Mar Sem Fim", do Amyr Kink.
Portanto, ele ficou um ano e três meses aguardando a vez da leitura em minha estante. Que absurdo! Como demorei tanto pra pegar esse livro em minhas mãos, ler e verificar a preciosidade que ele é.

Semana passada, eu o peguei e passei na frente de outros. Foi uma ótima decisão.
Como já falei aqui, estou com meu tempo livre muito curto, devido ao trabalho e escola. 
Como moro bem afastado do centro da cidade de Auckland, é mais comodo ir de trem, pois assim, economizo em todos os sentidos. Deixo o carro na estação mais próxima de minha casa e pego o trenzinho confortável e silencioso pra começar a minha jornada.
E, assim, eu consegui terminar de ler o "Água para Elefantes". E o livro do Amyr, li em cinco dias durante a viagem que dura mais ou menos trinta minutos.

Gostei demais do que li, e me emocionei em muitos trechos, que destaco abaixo pra vocês, que podem ser lidos e acompanhados nesse vídeo.




“Tanto mar, invés de nos separar, nos uniu. Em 141 dias de ausência, do início ao fim, o Paratii fez a sua volta e retornou a Jurumirim. A Terra é mesmo redonda. Ao longo do caminho, pensando bem, nem vento, nem ondas, nem gelo tão ruins, porque no fim, nada impediu meu veleiro de voltar inteiro à sua baía. E nada foi melhor do que voltar para descobrir, abraçando as três, que o mar da nossa casa não tem mesmo fim.

Pior do que passar frio, subindo e descendo ondas ao sul do oceano Índico, seria não ter chegado até aqui. Ou nunca ter deixado as águas quentes e confortáveis de de Parati. Mesmo que fosse apenas para descobrir o quanto elas eram quentes e confortáveis. Eu senti um estranho bem estar ao contornar gelos tão longe de casa.

Hoje entendo bem o meu pai. Um homem precisa viajar. Por sua conta, não por meio de histórias, imagens, livros ou tv. Precisa viajar por si, com seus olhos e pés, para entender o que é seu. Para um dia plantar as suas próprias árvores e dar-lhes valor. Conhecer o frio para desfrutar do calor. E o oposto. Sentir a distância e o desabrigo para estar bem sob o próprio teto. Um homem precisa viajar para lugares que não conhece para quebrar essa arrogância que nos faz ver o mundo como o imaginamos, e não simplesmente como é, que nos faz professores e doutores do que não vimos, quando deveríamos ser alunos, e simplesmente ir ver”.


Muitos trechos me tocaram. Ele deu a volta de 360º ao mundo. Eu, não dei essa volta toda. Apenas, atravessei o Oceano Pacífico deixando pra trás toda a minha vida, uma história, amigos, família, trabalho e muitas lembranças. Duas histórias totalmente diferentes, mas que experimentaram os mesmos sentimentos.
Por isso, entendo muito bem o que significa o trecho abaixo:

"Fui dormir perto das três da manhã. como o dia já havia nascido, dolorido de saudade. Dor física verdadeira, dor da falta que alguém pode fazer, da vontade de sentir e ver. Uma dor que não senti antes. Dor de prazer, de ansiedade, de querer infinitamente bem. Dor que tinha um só remédio: seguir em frente, andar rápido e atento".


Comprei o livro usado, em ótimas condições de uso na Estante Virtual, e só agora percebi que ele está autografado pelo autor.

Nada. Nem a grandeza do Oceano Pacífico me separará do amor de Deus, e daqueles que amo, e que deixei no Brasil.

Os trechos entre aspas ("), foram tirados do livro "Mar Sem Fim".

Demorei muito pra formular esse post, e não consegui ainda, retribuir todas às visitas e comentários do post anterior. Agora, são 10.07 PM de sábado aqui na NZ,  no Brasil  07.07 AM. Estou muito cansada e com sono.
Amanhã, pretendo colocar todas as minhas pendências do blog e respostas dos emails, em dia. 
Tenho sentido muita falta desse nosso contato, que era quase diário.
Boa noite pra mim. Bom dia Brasil, Portugal e resto do mundo!

29 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Lucinha, imagino que você vá ler este comment na manhã de domingo na Nova Zelândia então bom dia!

    Acho que nunca nos falamos antes, embora eu acompanhe seus posts desde que a Lucia Klein apresentou seu blog num post dela. Me identifiquei muito com este post, especialmente. Também amo ler mas não tenho o tempo para isso atualmente. Trabalhando fora e com crianças, quase não sobra tempo para o prazer da leitura. Também tenho uma fila de livros na minha estante esperando por sua vez. Nesta semana chegou um cacareco que comprei pela internet, uma luminária portátil, a intenção é deixá-la na cabeceira da cama junto com um livro assim, nos poucos minutos de relax antes de cair no sono, eu vou ler ao invés de assistir tv. Vergonhosamente, estou lendo A Menina que Roubava Livros há 5 meses.

    Não li Mar Sem Fim ainda, mas já tinha lido o trecho em que ele fala de arrogância - no blog Epa e Taia pelo Mundo e, de novo, me arrepiei. Certamente o lerei, não digo em breve porque a fila de livros a serem lidos por aqui já chegou na casa dos dois dígitos, mas o lerei.

    Grande abraço, excelente domingo e nova semana pra você.



    ps. Havia feito o mesmo comment anteriormente mas o apaguei porque te chamei de Luci, me perdoe =)

    ResponderExcluir
  3. olá Lucinha bom te ver por aqui!!! Nossa Lucinha eu tbm gosto de ler, mas confesso q tenho deixado um pouco de lado, aqui no jp encontramos livros nas lojas brasileiras, mas não é barato não sabe como é eles aproveitam p ganhar de quem gosta de ler, mas sempre que dá compro livros por aqui,,,tenho vários mais ainda n li...tenho q pegar firme de novo...

    bjinhos rose jp

    ResponderExcluir
  4. Lindo,Lucinha e conseguiste passar tua emoção e a senti daqui. Me emocionei também!

    Estar longe é fogo, mas faz refletir.
    E isso é bom! Saber que está só ali, mas ao mesmo tempo, saber-se sempre acompanhada...

    E tu,com certeza de que a distância que te separa dos amados, não te separa dos corações de cada um deles. Está sempre pertinho ! E, viajar é preciso!
    Adorei teu post, como sempre! beijos,chica

    ResponderExcluir
  5. Olá flor!!! gostei muito e me emocionei. Também gosto muito de ler e com certeza procurarei este livro pra mim. Parabéns pelo post! Beijos no coração!
    Cantinho da galega.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Que lindo Lucinha, emocionante relato.
    Adoro ler e com certeza gostaria de ler esse livro. Vou ver se compro.
    Beijos com saudades suas.
    Fique com Deus!

    ResponderExcluir
  7. que lindo Lucinha, e sempre que leio as suas postagens, que falam de saudades do Brasil e seus entes queridos, sinto tambem aquela dor que só quem tem saudades sabe o que é....beijos e bom final se semana

    ResponderExcluir
  8. Olá
    Que post profundo, cheio de sentimentos e emoções. Dificil javascript:void(0)deixar história para trás, ela nos acompanha n'alma e tudo isto fica bem registrado nos trechos que escolheu para nos presentear sobre o Livro.
    Bjs, brasileiros, diretamente de Niterói.

    ResponderExcluir
  9. Minha queridíssima Lucinha!
    Puxa, como é bom chegar aqui nesse cantinho, numa tarde de sábado bem friinha (a serra por aqui,já começa a ficar gelada) e encontrar uma postagem que fala tão fundo...
    Ler é sempre uma grande viagem, mas fica melhor ainda quando conseguimos através da leitura, embarcar na viagem interior, visitando nossos recantos, descobrindo nossos valores e amores enraigados na alma.
    Vc não havia lido o livro antes, pois não era a hora, tenho certeza disso. Foi legal poder fazer isso após uma vinda ao Brasil. O coração estava mais preparado para aproveitar a leitura.
    É isso querida, tudo tem seu tempo, sua hora, seu lugar... A vida é um mar sem fim, pois tudo pode ser o nosso recomeço.
    Bjks mil

    ResponderExcluir
  10. saudade em passar por ese cantinho, lindo post e ainda essa semana me venho na mente sobre esse livro, quero ler assim que possível.
    ótima semana

    ResponderExcluir
  11. saudade em passar por ese cantinho, lindo post e ainda essa semana me venho na mente sobre esse livro, quero ler assim que possível.
    ótima semana

    ResponderExcluir
  12. saudade em passar por ese cantinho, lindo post e ainda essa semana me venho na mente sobre esse livro, quero ler assim que possível.
    ótima semana

    ResponderExcluir
  13. saudade em passar por ese cantinho, lindo post e ainda essa semana me venho na mente sobre esse livro, quero ler assim que possível.
    ótima semana

    ResponderExcluir
  14. Como é bom ter tempo para ler! Eu devoro livros. Tanto gosto de ler poesia, como prosa na forma de conto ou romance.

    Bom fim de semana para todos/as os/as leitores(as).

    ResponderExcluir
  15. Oi, Lucinha,
    Eu também sou fã de livros! Li os dois primeiros do Amyr Klink: Parati e Cem Dias entre Céu e Mar. Quis ler os livros do Amyr porque admiro as pessoas que têm coragem de ir atrás dos sonhos, por mais malucos que eles pareçam. E foi pela mesma razão que eu li também o livro
    da Família Schürmann, que deixou a vida em Sta Catarina para correr atrás do sonho de dar a volta completo no globo através de um veleiro, coisa que tomou dez anos da vida deles. Os filhos estudaram por correspondência e um deles, depois de adulto até morou (ou ainda mora, não sei, aí na Nova Zelândia). Mas o fato é que os livros do Amyr me surpreenderam, pois ele tem uma sabedoria peculiar, rsrs.

    Beijo e boa semana!

    ResponderExcluir
  16. Lucinha, a leitura por muito tempo foi a minha companheira, viajei mundo afora através de belas leituras. Lendo adquiri cultura, e me tornei a avó que sou hoje. Ouvi da minha neta de nove anos que a vovó Virgínia é a avó mais inteligente do mundo (rs) ou do neto de 14 anos que aprendeu o Corel Draw e a tabuada com a vovó Virgínia e os colegas não acreditarem, se deve ao fato de eu ler e me manter atualizada para poder conviver com uma geração muito diferente da minha podendo conversar com eles de igual para igual.
    Lucinha, não sei porque escrevi tanto para comentar sobre uma postagem maravilhosa sua. Desculpe-me por ter direcionado o comentário para a minha vida.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  17. oi Lucinha
    ah se entendo
    eu pra ler é rapidinho - estou a mesma situação - tõ catado até revistinha pra ler - desesperate mesmo
    e esta frase -diz tudo - a dor - chega ser fisica - eu entendo - eu estou morando no meu país mas sinto a solidão , e doi e a saudade de quem está longe dói
    --
    abrindo o assunto do post abaixo
    descobri outro photoshop que acho que tu vai amar -
    e tu vai entender direito que ja está tudo em inglês - eu fui no chutometro mesmo - em mais itens para se fazer - adorei
    http://www.picmonkey.com/

    bjs
    lu
    estou levando a frase para o meu facebook

    ResponderExcluir
  18. Olá, quero lhe dizer que o seu post está excelente e delicioso de ler. Também fiquei e estou muito parada para ler livros! Prefiro estar aqui na blogosfera com o tempinho que tenho também! Dias atrás peguei na biblioteca um das fotos que Pe. Fabio tira por onde ele vai, com fotos lindíssimas e as frases de arromba. Estou muito só e muito tristes esses dias! Ore, amiga, ore! Bjbjbj!!!

    ResponderExcluir
  19. Olá amiga Lucinha,
    Emocionei-me ao ler o seu "post" e os pequenos trechos do livro Mar sem fim.
    Apesar de estar na minha terra tenho o meu filho mais velho separado de mim pelo Atlântico e o meu coração está quase sempre nostálgico.
    Hoje em Portugal comemora-se o dia da Mãe e embora ontem tivesse falado com ele hoje estou triste, porque ele é muito alegre e bem-disposto.
    Desejo que seus dias decorram o mais preenchidos possível e os livros são uma ótima companhia.
    Tenho também saudades das viagens de comboio que fazia daqui de onde moro para Lisboa onde trabalhava.
    Beijinhos e desejos de uma feliz semana.
    Ailime
    (Muito obrigada também pela sua constante presença no meu cantinho)

    ResponderExcluir
  20. OI Lucinha obrigada pelo carinho minha querida
    Ainda não li este livro, parece bem legal e interessante.
    Boa dica.
    Tenha um lindo restinho de domingo
    Beijos carinhosos de Canela

    ResponderExcluir
  21. Ei Lucinha!
    Já estive com este livro na mão,mas não o li. Agora lendo o trecho que você destacou tenho vontade de ler, a parte "um homem precisa viajar "traz uma belíssima lição, é nesses momentos de distância que damos valor ao que temos e somos.
    Entendo a sua correria, também ando um pouco sem tempo e fazendo menos postagens.
    Que sua semana seja de luz!
    Gd beijo

    ResponderExcluir
  22. oi, adorei o blog...

    passando para convidar vc para participar dos sorteios no meu blog

    http://liquidaluxo.blogspot.com.br/

    espero sua visita!!

    ResponderExcluir
  23. Ola lucinha no seu outro post falei ali p vc Do editor de fotos q uso e c ele da p fazer esses efeitos!!! Photoscape se quiser eh so abaixar.

    Bjinhos rose jp

    ResponderExcluir
  24. Lucinha, como uma pessoa tem coragem de desfazer de um livro autografado? Pois tenho certeza que quem colocou esse livro para vender, não deve ter chegado a lê-lo. Quanta beleza! Estando ao mar, os pensamentos são a única voz que escutamos. Os trechos que destacou são preciosos. Se não me engano, desse livro foi lançado também um documentário.
    Ah, deixei um comentário na sua postagem de participação do bookcrossing blogueiro. Já adicionei seu link à lista de participantes e publiquei no evento no facebook. Olha, você acha que foi atrasadinha, não é? Na página do evento, tem gente ainda entrando para participar :) Bom né?
    Boa semana!! Beijus,

    ResponderExcluir
  25. Lucinha, q post lindo. Viagem, fazer o q se gosta, reflexão.Como é bom ler !!!

    Leitura com "conteúdo" sempre nos faz ficar melhor, em todos os aspectos,né.:))

    Beijinhos

    Ana

    ResponderExcluir
  26. Ler é muito bom, principalmente quando se está fora do Brasil poder ler em português e um bom livro.
    Tenha uma ótima semana. Beijos.

    ResponderExcluir
  27. Oi Lucinha,tudo bem contigo ,ainda não li este livro,mas ja me disseram que é muito bom pretendo ler brevemente,beijos minha querida

    ResponderExcluir

Visualizações

Arquivo

Categorias