Visita ao Marae - Local de Reunião dos Maoris.

 Wharenui - Casa de Reunião dos Maoris
Alguns alunos da turma que são,da China, Iran, Índia e Brasil (eu). Rs


Eu e a Zarah, minha amiga do Iran.

Semana passada eu fui visitar uma tribo Maori com a turma do colégio. Isso faz parte das atividades, pois o  curso é ligado a Faculdade Maori de Auckland, e é importante aprender um pouco sobre a cultura deles.

Alguns momentos não puderam ser fotografados ou filmados, e as poucas fotos que tirei não ficaram de boa qualidade. Mesmo assim, eu vou tentar passar um pouco do que aprendi lá.

Eu já havia visitado uma tribo em Rotorua, que vocês podem ver aqui, mas fui como turista com minha família  que estava passeando na NZ, e alguns detalhes eu não me atentei naquela visita. 
E se vocês forem visitar uma tribo dessas, já saberão como proceder.

Para entrar no Marae, que é o local de reunião deles, todos têm que ficar esperando do lado de fora, até que eles venham nos receber.

As mulheres mais velhas vão à frente, as mais novas atrás. Os homens atrás delas, na mesma sequencia.
Após a Karanga que é a recepção onde eles cantam no idioma Maori, começamos a entrar bem devagar.
Ao chegar à frente do Wharenui (casa de reunião) temos que deixar os calçados do lado direito. 

Lá dentro, os homens sentam na frente, as mulheres mais velhas atrás e as mais novas no final. Os Maoris, que são os anfitriões ficam do lado esquerdo, e nós convidados do lado direito.
Eles fazem tipo uma prece no idioma deles, pois eles acreditam nos seus ancestrais.

Depois dessa linda cerimônia ,saímos para o café da manhã. Mas antes, teve os cumprimentos, que é chamado Hongi, como na foto acima. O cumprimento é assim mesmo, encostam-se os narizes. Portanto, tomem cuidado, é apenas um toque de narizes. Se houver algum erro de encaixe, com certeza, o de vocês que vai doer, e não os deles. As mulheres fecham os olhos na hora de cumprimentar um homem. Se ela ficar de olhos abertos, é por que está gostou do rapaz. Assim uma senhora Maori nos contou.

A única coisa que não gostei, foi que pediram para irmos de roupa escura, de preferência preta. Como não estava fazendo muito frio, me senti um pouco desconfortável. 
Uma das atividades eu vou mostrar em outra oportunidade. 

Eu gosto muito do povo Maori e quero aprender muito mais sobre a cultura deles.

Na última foto estou com minha amiga Zarah que é do Iran. Somos de nações, culturas e religiões totalmente diferentes, mas nasceu dentro de nós uma grande amizade, e essas diferenças não contam nesses casos.

15 comentários:

  1. Que coisa mais linda.Lucinha! E quantas coisas diferentes estás conhecendo por aí!

    Lindo essas diferenças culturais e a convivência legal entre elas.

    Pelo que vi, eles enfatizam bem a diferença entre mulheres novas e velhas,rs...

    beijos,tudo de bom,chica

    ResponderExcluir
  2. Lucinha
    muito interesante tudo o que está partilhando. Uma realidade tão diferente da nossa e por isso mesmo cativante.
    Obrigada por partilhar e pela visita no degrau de silêncio.
    Beijinho

    ResponderExcluir
  3. Lucinha,

    estou apaixonada pelo que estou vendo aqui, amiga querida! que riqueza...
    Soube da existência dos maoris não há muito tempo, veja você. E agora posso ter um pouquinho mais de sua cultura, através de você.
    Agradeço a Deus por esta oportunidade!
    Ah, o detalhe da roupa escura foi somente um detalhe...rs, acidentes de percurso...rs, na verdade deve ter sido tudo maravilhoso!

    Um beij\0/
    Muita alegria, saúde e bênçãos pra você, querida!

    ResponderExcluir
  4. Que legal Lucinha nos mostrar a diversidade cultural e voce tem a sensibilidade de identificar as ocasiões, lugares,costumes, enfim, estou aprendendo muito sobre a NZ com voce!
    Grande beijo,
    jud-artes.

    ResponderExcluir
  5. Ah! Gostei muito da parte das matriarcas irem na frente e os homens lá atrás.Rsrsrs! Legal! Alguma coisa sempre nos escapa como vc mesma disse e certamente agora, desta vez, você foi como aluna, olhar mais arguto, observou mais,sentiu mais, apesar do agasalho, diferente do momento de ir com a sua família, outros sentimentos dominando o instante. Linda reportagem. Amei! Fique com Deus! Beijos!

    ResponderExcluir
  6. Oi Lucinha!
    Uma experiência endgrandecedorar, vivenciar e compartilhar as diferenças em harmonia. Lindo! O respeito é fundamental e sua visão consciente e sensível nos proporciona o prazer de conhecer tudo isso.
    Beijinhos e tudo de bom!

    ResponderExcluir
  7. Coisas legais

    Eu gostei do seu blog é muito lega. no meu blogger tem Coisas legais para postar no facebook, orkut, tumblr, twittar, ler, texto colorido, nome japonês, emoticons, ascii desenhos, glitter para orkut perfil, template, aprenda coreano, curso de ajax, curso de desenho, curso de arabe, curso prestashop e muito mais

    http://legal2345.blogspot.com

    Me siga no meu blooger

    ResponderExcluir
  8. É muito lindo e enriquecedor esse conhecer de outras culturas. Partilhar e criar elos afetivos como dissestes de sua amiga do Iran
    Intessante! Todos tão diferentes e ao mesmo tempo iguais na essência.
    Amo ler suas postagens...Fico imaginando como deve ser emocionante essa experiência.
    Abraços! Um dia abençoado e lindo pra ti.

    ResponderExcluir
  9. Oi Lucinha
    É muito bonito esta Interação entre pessoas de costumes diferentes, e que se entendem e compartilham experiências.
    Cada vez que venho te visitar aprendo muito contigo. Além de nos mostrar muito deste lindo país e de seu povo você nos passa o seu carinho com tudo que faz.
    Um grande abraço

    ResponderExcluir
  10. Parece tudo tão lindo!Deus te proteja.Paz.

    ResponderExcluir
  11. Querida Lucinha!
    Fiquei realmente encantada em conhecer um pouco mais desta cultura Maori, tão antiga e diferente da nossa realidade. Imagino que deve ser um privilégio poder participar destes pequenos eventos, e ter um contato direto com estas pessoas maravilhosas.
    Sabe,minha amiga, eu acredito que quanto mais conhecemos e vivenciamos outras variedades culturais,mais ampliamos a nossa mente e espírito. Pois é nas diferenças,que acabamos encontrando muitas similaridades, e descobrimos nos outros, a nossa própria essência. Ou seja,no fundo todos somos iguais, mas o que muda é apenas a nossa maneira de interpretar e interagir com o mundo em que vivemos... Mas o mais importante, é o respeito e o amor que devemos sempre ter uns pelos outros. E o mais lindo de tudo: O amor e a amizade estão muito além do que qualquer barreira cultural ou geográfica... O amor,o respeito e a amizade sempre superam as diferenças e unem os povos!
    Muito obrigada,querida Lucinha,por compartilhar essas experiências maravilhosas conosco!

    Beijos e um abraço bem grande da amiga carioca de sempre!
    Teresa

    ResponderExcluir
  12. Nunca ouvi falar em MAORI. É seita? Não sei, Lucinha.

    ResponderExcluir
  13. Apreciei demais este Post e conhecer a cultura deles.
    É curiosa a ordem observada, as mulheres mais velhas vão à frente, as mais novas atrás, os homens a trás delas, na mesma sequência.
    Diferente da ordem observada, por exemplo, mas procissões realizadas na minha terra, em que os homens seguiam à frente, depois as crianças e associações religiosas e atrás as mulheres, todos em duas filas.

    ResponderExcluir
  14. Amiga Lucinha,
    Extraordinária essa sua vivência aí na Nova Zelândia!
    Oportunidades únicas de conhecer outras culturas com características ímpares e muito interessantes.
    Grata por partilhar, porque não conhecia e aprecio imenso os intercâmbios com povos de usos e costumes diferentes e bem-haja também pela sua disponibilidade em transmitir essas experiências maravilhosas que me vão ajudando a conhecer melhor este nosso maravilhoso mundo.
    Um grande beijinho com votos de um excelente fim de semana.
    Com a minha amizade,
    Ailime

    ResponderExcluir
  15. Adorei o post, e conhecer novas culturas... é o máximo! Bjs da Mel

    ResponderExcluir

Visualizações

Arquivo

Categorias